Skip to main content
Tag

Ariranha

FICHA ANIMAL: Lontras

By Animais ameaçados de extinção, ficha animal, GreenBond

Com certeza você já se deparou com imagens belíssimas das lontras. Certo? Mas você sabia que elas não são todas iguais? A verdade é que existem 13 espécies diferentes e apenas 2 delas ocorrem aqui no Brasil. Se você quer saber um pouco mais sobre a diversidade, vida e ameaças desses animais, continue acompanhando aqui e veja a sua ficha animal!

Características

As lontras são animais carnívoros pertencentes à família dos mustelídeos, que inclui não só essas ilustres criaturas, mas as doninhas, texugos e furões. Existem 13 espécies de lontras ao redor do mundo, podendo ser encontradas em muitas regiões dos continentes americano, asiático, africano e europeu.

Apesar das diferentes espécies, a aparência delas são bem semelhantes e por isso, você provavelmente consegue reconhecê-las a partir dos corpos e cauda alongados, pelos amarronzados macios e densos, além das orelhas e narizes curtos. Mas a biologia delas está muito além dessas características… quer ver?

Lontra canadensis. Foto: Sarah Killingsworth

As lontras são consideradas semi aquáticas, pois apesar de passarem uma boa parte de suas vidas nas águas doces ou salgadas (a depender da espécie), usam o ambiente terrestre para cavar tocas onde darão à luz a seus filhotes. Quando estão nos ambientes aquáticos, contam com um conjunto de adaptações que as permitem ser ótimas nadadoras, como a cauda longa e robusta, as membranas interdigitais e a capacidade de fechar as narinas e ouvido enquanto estão mergulhando.

As espécies marinhas que habitam as águas frias do Oceano Pacífico contam com  uma pelagem considerada a mais grossa dentre todos os mamíferos. Ela é formada por duas camadas: a primeira e mais longa é impermeável, enquanto a segunda é mais curta, mas recoberta por cerca de 1 milhão de pelos por centímetro quadrado em algumas regiões do seu corpo. Essa incrível adaptação é essencial para a sobrevivência delas. 

Foto: Jéssica dos Anjos

Alimentação

As lontras usam táticas diferentes para capturar suas presas, mas a maioria delas perseguem ferozmente o seu alvo pela água e as apanham pela boca ou ainda, com a pata dianteira. Todas têm em comum o uso dos dentes fortes e afiados para triturarem o seu alimento. 

Foto: Araquém Alcântara

O cardápio desses animais é bem similar, uma vez que são conhecidos como caçadores especialistas em peixes e crustáceos. 

As espécies marinhas que habitam as águas costeiras do Pacífico ainda conseguem se aproveitar dos invertebrados de casca dura, como os ouriços-do-mar, mexilhões e caranguejos. Se os dentes não lhe são suficientes, não faltam engenhocas para se lambuzarem dos petiscos: para abrir mariscos, elas flutuam de costas na água e com a ajuda de uma pedra, esmagam os moluscos até que ele se abra! 

Reprodução

Muitas das espécies apresentam um comportamento monogâmico, isto é, uma vez formado o casal, permanecem fiel um ao outro por toda a vida. Já o tempo de gestação das mamães lontras varia entre as espécies, mas com um número médio de dois filhotes por período reprodutivo.

Um doce momento entre um casal da espécie Lontra-asiática-de-garras-pequenas Foto: Rafael Wilson

Quando nascem, os filhotes não conseguem abrir o olho e por aproximadamente um ano, são dependentes dos cuidados parentais exclusivos da mãe – nestes animais, os machos não exercem nenhuma função durante a criação dos pequenos.

Ameaças

Como vocês viram, a pelagem desses animais é densa e macia… por isso, há alguns anos, chegaram ao ponto de quase extinção devido à caça excessiva. Ainda que com o passar do tempo, tenham criado muitos projetos de conservação para elas, a poluição e fragmentação dos habitats ainda são fatores preocupantes. De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, das 13 espécies existentes, 2 estão categorizadas como Vulnerável (VU), 5 como Em Perigo (EN) e 5 como Quase Ameaçada (NT).

As espécies…

No Mundo
  • Aonyx cinereus – Lontra-asiática-de-garras-pequenas

Foto: Biodiversity4all

Essa espécie é conhecida pelo seu carisma! Esses animais são bem sociáveis e formam grupos familiares dinâmicos e brincalhões com até 20 indivíduos. São monogâmicos e, por isso, quando atingem a maturidade sexual, formam pares que se estendem durante toda a vida!

Infelizmente, elas se encontram categorizadas como Vulnerável (VU) na Lista Vermelha da IUCN.

  • Lutrogale perspicillata – Lontra-de-pelagem-lisa

Foto: Tomás Najer

Os indivíduos dessa espécie são principalmente noturnos e formam grandes grupos e juntos, vão à caça dos mais variados peixes, camarões, sapos, caranguejos, insetos e até mesmo, aves. Além disso, possuem a pelagem mais lisa e curta comparada às demais espécies.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Vulnerável (VU).

  • Lutra sumatrana – Lontra-de-nariz-peludo

Foto: Thai National Parks

Ela é encontrada em áreas costeiras e em rios maiores do interior do Sudeste Asiático. Infelizmente, essa é uma das espécies de lontra mais raras. Até o ano de 1998, imaginava-se que ela já havia sido extinta devido à caça furtiva, mas desde então, pequenas populações foram descobertas.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Em Perigo (EN).

  • Hydrictis maculicollis – Lontra-de-pescoço-manchado

Foto: The Phoenix zoo

Essas são facilmente distinguíveis das demais por conta das manchas brancas que colorem os seus lábios superiores ou pescoço…, mas o curioso é que nem todos os indivíduos as possuem! Uma das características mais marcantes delas é a sociabilidade: já foram avistadas brincando com outros indivíduos e sozinhas!

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Quase Ameaçada (NT).

  • Lutra lutra – Lontra euroasiática

Foto: New Forest Wildlife Park

Esta espécie é a mais amplamente distribuída de todas as lontras, variando da Eurásia até o Círculo Polar Ártico, da Irlanda a Kamchatka, e do sul ao norte da África, Sri Lanka e Indonésia.

A sua dieta variada e adaptada permite que ela habite qualquer corpo d’água não poluída, seja lagos, córregos, rios e lagoas que tenham suprimentos o bastante para saciar sua fome.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Quase Ameaçada (NT).

  • Aonyx capensis – Lontra-africana-sem-garras

Foto: Tony Goy

Essa espécie só pode ser encontrada na África, até mesmo nos habitats mais poluídos das vilas e cidades! A única exigência desses animais é uma água doce por perto para se lavar do sal.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Quase Ameaçada (NT).

Aonyx  congicus – Lontra-sem-garras-do-Congo

Foto: africanotternetwork.org

Dentre as espécies de lontras, essa é a provavelmente menos estudada e por isso, pouco se sabe sobre ela. Evidências como bigodes reduzidos, garras minúsculas, dentição generalizada e observações esporádicas sugerem que ela é um mamífero terrestre que explora pântanos e florestas.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Quase Ameaçada (NT).

  1. Lontra canadensis – Lontra de rio norte-americana

Foto: Maryland Zoo

Esse animal pode ser encontrado nos Estados Unidos e Canadá e é ativa durante o ano todo, até mesmo nos dias de neve!

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Pouco Preocupante (LC).

  1. Enhydra lutris – Lontra-marinha

Foto: Randall Davis

Se você viu um vídeo ou uma foto de uma lontra e não se aguentou de tanta fofura, muito provavelmente era dessa espécie! Arriscamos em dizer que essa é provavelmente uma das favoritas e mais conhecidas! 

Ao contrário de outros mamíferos marinhos, elas não possuem uma camada de gordura para protegê-las do frio e, por isso, contam com uma pelagem grossa e densa. 

Esses animais fazem parte do cardápio das orcas, tubarões brancos, águias e ursos!

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Em Perigo (EN).

  • Lontra felina – Lontra-do-mar

Foto: Wikimedia Commons

Essa é a menor lontra dentre todas as outras espécies. Além da Lontra-marinha (Enhydra lutris), ela é a única exclusivamente marinha.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Em Perigo (EN).

  • Lontra provocax – Lontra-do-rio-sul

Foto: Animal Life Expectancy

Elas são encontradas perto de habitats rochosos na costa da Argentina e do Chile, vivendo em águas doces com uma abundante vegetação ciliar. Diferentemente da maioria das outras espécies, ela é bem rara e dificilmente avistada.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Em Perigo (EN).

No Brasil
  • Lontra longicaudis – Lontra ou Lontra-neotropical

Foto: Caroline Leuchtenberger

Além do Brasil, ela também é encontrada em países como Bolívia, Venezuela, México e Honduras.

Como o seu próprio nome diz, essa espécie apresenta uma cauda super longa (“longi” – longa “caudis” – cauda) que podem medir até 57 cm. Esses animais habitam tanto as águas doces nas regiões de florestas como os ambientes marinhos, como os costões rochosos.

Com uma alimentação bem diversificada, é conhecida por ser uma excelente oportunista: só escapa do seu rango aqueles que forem rápidos o bastante para escapar de seu ataque.

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Quase Ameaçada (NT).

  • Pteronura brasiliensis – Lontra-gigante ou Ariranha

Foto: Gustavo Figueirôa

Apesar de ser encontrada aqui no Brasil, elas também ocorrem em vários países da América do Sul, como Bolívia, Venezuela, Peru, Paraguai e Colômbia. 

A Lontra-gigante – como o nome sugere – é a maior dentre todas as espécies, atingindo até 2,0 m de largura do nariz à ponta da cauda e pesando cerca de 34 kg.

Esses animais possuem hábitos diurnos e vivem em grandes grupos que dormem, brincam e caçam juntos. 

De acordo com a Lista Vermelha da IUCN, elas se encontram categorizadas como Em Perigo (EN).

 

E aí, quantas dessas espécies você já conhecia? Elas são mesmo criaturas adoráveis!

 

Texto escrito por Aléxia Ferraz

Revisado por Jéssica Amaral Lara