Mudança de mentalidade: ferramentas poderosas para combater o tráfico de animais selvagens

Um artigo recente publicado na “Nature Conservation apontou os principais desafios e oportunidades para reduzir a demanda por animais ilegais. Tirando a responsabilidade do combate ao tráfico das mãos do governo, as principais sugestões consistem em formas de influenciar a mudança de comportamento da sociedade como um todo. 

Segundo Kenneth E. Wallen e Elizabeth Daut, que são as autoras do artigo, “A conservação da biodiversidade depende do gerenciamento do comportamento humano e, às vezes, da mudança do mesmo. Isso é particularmente relevante para o comércio ilegal de animais e/ou produtos silvestres, tanto da flora quanto da fauna.”

 

Resgate de animais traficados. (Foto: CETAS-BH)

 

Explorando diversos setores, como a influência social, insights comportamentais, marketing social e abordagens centradas no ser humano, as autoras sugerem uma forte tendência à reestruturação dos comportamentos naturais em sociedade, com a finalidade de reduzir a frequência de crimes ambientais. 

 

PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS PARA INFLUENCIAR A MUDANÇA DE COMPORTAMENTO 

 

Marketing Social 

Hoje, é possível utilizar táticas que integrem conceitos, princípios e métodos de marketing, encorajando comportamentos sociais que beneficiem a comunidade. O objetivo primário do marketing social é transformar a mentalidade das pessoas e algumas estruturas sociais, utilizando-se de processos efetivos, justos e sustentáveis. 

Design centrado no ser humano 

Outra sugestão é utilizar o “Design Centrado no Ser Humano”. Para tal, é preciso desenvolver estratégias de trabalho que estimulem a mudança de comportamento por meio de soluções colaborativas, ou seja, nas quais as pessoas possam participar de todos os processos. Fazer reflexões empáticas e ter um feedback de todos os envolvidos são pontos imprescindíveis no diagnóstico e resolução dos problemas.

 

Teoria da mudança

Segundo o Projeto Draft, a Teoria da Mudança é um método direcionador que permite que as organizações voltem aos seus objetivos iniciais, analisem o resultado dos impactos socioambientais e corrijam processos, sempre que necessário. 

 

MÉTODOS EFETIVOS DE COMUNICAÇÃO

 

Educação e Awareness

Ao propagar um conteúdo relevante por canais efetivos, é possível divulgar informação e educar as pessoas de acordo com o seu objetivo. Quanto mais pessoas informadas e engajadas com a causa, maior é o seu potencial de alcance, visto que cada uma delas se torna um “novo canal” de comunicação.

Nem todo mundo entende a gravidade de um crime ambiental. Muitos não sabem o processo criminoso por trás de uma ave ou réptil à venda no mercado. Por isso a importância da informação. 

 

Divulgação, construção de relacionamento e confiança 

O diálogo é a melhor forma de construir uma relação. Por isso, é importante que o emissor da mensagem comunique-se e mantenha os canais sempre abertos, para todos os grupos envolvidos. Qualquer ação ou decisão deve ser tomada com o máximo de transparência e empatia. 

 

Influência social 

O ideal é que a propagação da mensagem permita interações, questionamentos e debates, além de apoiar-se em percepções de outros indivíduos e/ou grupos sociais, seus sentimentos, crenças, comportamentos, etc. 

Entender a particularidade do outro (seja ele parte do processo ou consumidor final) é essencial para encontrar soluções completas. Se o objetivo é provocar uma mudança de pensamento coletiva, você precisa conhecer e se comunicar com cada um no seu mundo particular. 

 

Percepções comportamentais prévias 

Aproximações que compreendem bases cognitivas, limitações, etc., costumam ser mais efetivas na tentativa de mudança. Saber os padrões dos comportamentos pode ser útil na previsão e convencimento em momentos de decisão. 

Entender o padrão de comportamento atual das pessoas envolvidas te ajuda a prevê-los e trabalhar uma possível mudança futura. 

 

APLICAÇÃO PRÁTICA 

Existem diversos métodos inovadores, principalmente na área da comunicação, capazes de otimizar os esforços de conservação da vida selvagem. Mas, focando especialmente no combate ao tráfico de animais silvestres, como podemos aplicá-los?

Pensando nas principais características dos recursos apresentados, chegamos à conclusão de que essas ferramentas podem ser utilizadas para envolver a sociedade e impulsionar uma mudança de mentalidade coletiva. Por meio das estratégias de marketing, por exemplo, você consegue propagar a mensagem de conservação, engajar o público na causa e convencê-los a não alimentar/compactuar com o mercado de animais ilegais. Ou seja, com a redução da demanda final, seja pela compra de animais legalizados seja pela diminuição da demanda em adquiri-los, aos poucos o mercado ilegal vai ficando enfraquecido. 

Ave vítima do tráfico de animais. (Foto: CETAS-BH)

 

O design centrado em seres humanos e a teoria da mudança podem vir como estratégias complementares, estimulando o envolvimento de todas as partes inseridas no processo. No caso do tráfico, seria interessante a busca por uma solução pensada de todos os pontos de vista: da pessoa que captura o animal, de quem vende, quem compra, das organizações de fiscalização, das instituições conservacionistas e pessoas que defendem a causa. A solução perfeita deve atingir todos os pontos envolvidos, causando uma reestruturação completa desta cadeia. 

Leave a Reply