Plano de conservação da onça-pintada é lançado durante a COP 14

By novembro 26, 2018Conservação, Notícias

A onça-pintada (Panthera onca) é o maior felino das Américas. No entanto, 50% do território original da espécie foi perdido devido à caça ilegal, ao conflito com humanos e à perda e fragmentação do habitat – Foto: en:User:Cburnett – Own work/ CC BY-SA 3.0

As principais organizações internacionais de conservação e 14 países que fazem parte do território da onça-pintada se uniram para lançar o Jaguar 2030 Conservation Roadmap for the Americas (Plano de Conservação da Onça-pintada para as Américas 2030), um plano regional para salvar a espécie e os ecossistemas onde ela é encontrada. O documento foi apresentado durante a Conferência das Partes (COP 14) da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) que começou no sábado (17) e vai até 29 de novembro.

As principais populações de onça-pintada estão conectadas através de uma série de corredores biológicos e genéticos em uma unidade ecológica única e de larga escala conhecida como Corredor da Onça-Pintada. O Jaguar 2030 tem o objetivo de fortalecer esse Corredor em todos os países, garantindo 30 áreas prioritárias de conservação do felino até 2030.

A intenção é promover o desenvolvimento sustentável, reduzir o conflito homem x onça-pintada, estimular o ecoturismo e o desenvolvimento das comunidades locais, aumentar a segurança e a conectividade das paisagens protegidas e atender globalmente metas de conservação da biodiversidade. “O Jaguar 2030 representa o tipo de parceria inovadora que é essencial para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, afirmou Midori Paxton, Chefe de Biodiversidade e Ecossistemas do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento em matéria publicada no site da ONU. “Ao unir os governos dos países onde o felino se encontra, o setor privado, a sociedade civil e parceiros internacionais, o Plano ajudará a proteger os corredores-chave da onça-pintada de forma a fortalecer a subsistência sustentável das comunidades locais e abrir novas oportunidades de negócios para o ecoturismo e agricultura sustentável.”

A onça-preta e a onça-pintada são animais da mesma espécie (Panthera onca), a diferença é que a versão escura tem mais melanina – Foto: Lucas Leite

Esse plano de conservação permite conhecer as distribuições do felino e os desafios que a espécie enfrenta com maior velocidade e promove avanços nas ferramentas de conservação da onça-pintada. Além disso, o Jaguar 2030 integra os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (florestas manejadas de forma sustentável, interrupção da degradação da terra e perda de biodiversidade e produção responsável) com a conservação da onça-pintada e enfatiza a importância de incorporar o felino nos planos de desenvolvimento para a expansão de energia, agricultura e transporte com o objetivo de não haver perdas para a espécie nem para a biodiversidade.

Os olhos das onças-pintadas, assim como de outros felinos, refletem facilmente a luz graças à uma membrana chamada tapetum lucidum, que os ajuda a enxergar de noite. Foto: Gustavo Figueirôa

Dr. John Polisaro, coordenador do Programa de Conservação da Onça-Pintada na WCS (Wildlife Conservation Society), afirmou no blog de National Geographic: “Neste momento, o impulso por trás do Jaguar 2030 Conservation Roadmap for the Americas está crescendo em todo o território da onça-pintada. Está ganhando força por meio de compromissos nacionais unificados e visões transfronteiriças para alcançar a coexistência bem-sucedida dos seres humanos com o poder do mundo selvagem – a onça. Ambos serão beneficiados”, Estamos torcendo para que ele esteja certo.

Leave a Reply