Skip to main content
Tag

games

Sabia que videogames podem ser utilizados na conservação da biodiversidade?

By GreenBond, Marketing na Conservação

Desde 1972 os videogames vem encantando gerações após gerações, do Atari ao PlayStation, mas esses divertidos aparelhos eletrônicos que roubam horas da nossa vida também reúnem amigos, aproximam pessoas do mundo inteiro e podem apresentar muitos outros benefícios. Dentre eles estão a melhora da memória e da capacidade de liderança, raciocínio rápido, foco e concentração, estratégias e segundo um estudo de 2007, pode até mesmo desenvolver capacidades físicas. 

Mas, além de tudo isso, para os amantes dos games e dos animais um caminho incrível e repleto de novas oportunidades está surgindo. Uma nova era na qual os games podem nos ajudar na Conservação da Biodiversidade.

Você deve estar se perguntando como, não é mesmo? Calma lá que a gente te explica.

Gautam Shah, explorador da National Geographic.
Foto de Rebecca Hale

 

Gautam Shah  

Profissional da Tecnologia da Informação (TI) por mais de 20 anos e um grande amante da vida selvagem, Gautam pediu demissão do seu trabalho para em 2016 fundar a Internet of Elephants (IOE). Em seu site, se resumem como uma empresa que existe para engajar muitas pessoas com a natureza.

Em sua jornada, acompanhou muitos avanços na conservação, porém, algo não fazia sentido para ele. A maioria dessas informações ficavam reservadas dentro de revistas e periódicos que não chegavam às pessoas. Muitas dessas histórias eram incrivelmente atraentes para engajar mais pessoas na conservação de espécies e seus hábitats.

Com isso, resolveu juntar suas habilidades tecnológicas com a conservação da vida selvagem, e projetar experiências digitais para contar histórias reais de conservação com base em dados reais.

Gameficação e Storytelling

A Gameficação é a prática de aplicar mecânicas de jogos em diversas áreas, como negócios, saúde, vida social e na conservação, como estamos descobrindo. Seu principal objetivo é aumentar o engajamento e despertar a curiosidade dos jogadores, além, é claro, de criar desafios nos jogos, sendo que recompensas também são itens cruciais para o sucesso. Embora não seja necessário criar um jogo em si, a prática tem ganhado muito espaço na sociedade, e vem sendo inserida até em aplicativos e livros. 

 

Alguns benefícios da gameficação

 

Já o Storytelling, como já falamos por aqui no nosso Bond News, é justamente o ato de contar histórias, porém, mais do que isso, é a arte de transmitir uma mensagem, se conectar emocionalmente com o ouvinte. Uma história bem contada tem o poder de prender a atenção, causar identificação, mexer com nossos sentimentos, perdurar em nossa memória e até provocar mudanças. E é justamente aí, que o storytelling entra como uma arma poderosa na luta pela conservação.

Juntando essas duas armas poderosíssimas, temos um arsenal completo para lutar pela Biodiversidade.

Algumas histórias que inspiram

Uma das histórias que inspirou o criador de IOE foi de um Gorila-de-dorso-prateado (Gorilla gorilla) em Ruanda. Giraneza, era filho do líder do maior grupo de gorilas da montanha já registrado. Aos 14 anos, seu pai  morreu em uma batalha com outro dorso prateado. Giraneza deixou sua família logo em seguida e, a partir de então, levou uma vida principalmente solitária e cheia de violência tentando formar um novo grupo. Ele derrotou e matou dois outros machos, Bwenge e Ugenda, cujos grupos foram muito perturbados. No entanto, nenhuma das antigas fêmeas se juntou ao campeão. Finalmente, ao derrotar Gushimira, líder de outro grupo, as fêmas, Pasika e Kurinda, decidiram se juntar a Giraneza. Tendo conseguido formar seu próprio grupo, a agressão parou e ele levou uma vida pacífica até que finalmente morreu de pneumonia, dois anos depois, quando seu grupo duramente conquistado se desfez.

O breve resumo de sua vida é baseado em pelo menos 23 anos de observações detalhadas e trabalho árduo de campo da ilustríssima Dian Fossey, em terrenos e condições incrivelmente desafiadoras. Afinal, ele era um gorila-das-montanhas que vivia na selva.

Como Giraneza, existem milhares de animais sendo observados ao longo de suas vidas e graças à tecnologia sofisticada e cada vez mais acessível, os conjuntos de dados sobre esses animais estão crescendo exponencialmente.

As histórias individuais desses animais raramente alcançam o grande público, mas e se esses conjuntos de dados, como observações comportamentais e de história de vida, coordenadas de GPS, fotos ou gravações de áudio fossem abertos para outras pessoas além da comunidade científica? E aí que queremos chegar!

Os games conservacionistas

Baseados nessas histórias a IOE vem criando games com realidade virtual e distribuindo dados científicos para aproximar as pessoas, principalmente, através de games para celular, os famosos mobile games.

Foi assim com seu primeiro lançamento, Safári Central,  um joguinho de realidade aumentada, onde poderíamos ter uma onça dentro do nosso apartamento. Depois disso, baseado no sucesso de Pokemon Go, lançaram Wildeverse, onde os jogadores podem “rastrear” macacos coletando amostras ambientais, como frutas e fezes. Não dá para deixar de citar o Run Wild, um game com parceria com a Adidas Runtastic, a Snowleopardtrust e a ONU, para mobilizar milhões de corredores em todo o mundo para agir em prol das espécies mais ameaçadas do mundo. RunWild, é um desafio de corrida digital de doze dias onde você pode competir com Uuliin, um leopardo da neve macho de nove anos que vive na Mongólia.

Nosso diretor de marketing, testando o game Safári Centra

 

E por último o Unseen empire, um jogo que tem dado o que falar na CNN. Ele transformou um dos maiores estudos de armadilhas fotográficas em uma experiência jogável. A ideia é que, ao permitir que os jogadores assumam o papel de um pesquisador em um estudo científico real, o jogo ajude as pessoas a entender melhor a ciência da conservação.

 

“Wildeverse”, usa a realidade aumentada para contar uma história sobre como proteger macacos em Bornéu e no Congo.

 

Irado demais, não é mesmo?

Nós aqui do Bond, somos super animados com o uso das novas tecnologias para inspirar novas gerações e por isso, o IOE é um dos nossos projetos preferidos. Estamos ansiosos por aqui para conhecer as novas ideias e o que vem pela frente.

E você, gosta de games? Então, não perde tempo e vai já procurar esses jogos pra baixar. Quem sabe você não se torna o mais novo conservacionista do mundo dos games.