Tag

José Marcio Ayres

Personagens da conservação: José Márcio Ayres

By | gigantes da conservação | No Comments

 

Ano novo, vida nova e novos personagens da conservação para vocês!

 

Você conhece as grandes personalidades da conservação? Ao longo dos anos, pudemos contar com alguns heróis que deram início a grandes ideias ou tiveram papéis importantes em determinados projetos de proteção ao meio ambiente. Seus princípios e histórias de vida são uma inspiração para nós, que formamos uma enorme corrente a favor da natureza.  

Vamos explorar a história desses gigantes aqui em nosso blog. A informação é nossa principal arma. Por meio dela, desejamos munir a população de conhecimento, inspirar cidadãos comuns e trazer o maior número de pessoas  para o “lado verde da força”.

 

O blog de hoje é sobre José Márcio Ayres, um grande biólogo que uniu duas grandes missões em sua vida. A conservação da Floresta Amazônica e o desenvolvimento sustentável das comunidades que nela habitam.

José com o macaco Uacari nas costas. Fonte: Internet

José Márcio Ayres

 

Brasileiro, nascido em 21 de fevereiro de 1954, José Marcio se formou pela Universidade de São Paulo (USP) em 1976  em Ciências Biológicas. Realizou seu mestrado em 1981,no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) com ênfase em primatologia e se tornou doutor em Ecologia de Florestas Tropicais em 1986 pela universidade de Cambridge. 

 

Sua história com a conservação e com o desenvolvimento sustentável na Amazônia.

 

Muito mais do que dedicado somente às questões relacionadas à biologia em si, Ayres demonstrou profunda dedicação e preocupação  com o bem-estar das comunidades da Amazônia.

Fonte: Internet

Em 1996, Jose Márcio, preocupado com o desmatamento ilegal e a pesca intensiva que estavam ocorrendo na reserva ecológica de Mamirauá, na Floresta Amazônica, através de suas ações, conseguiu estabelecer, numa área de 2.600 km², uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável – a primeira desse tipo na América do Sul.

 

Em maio de 1999, Ayres, junto com outros ambientalistas e pesquisadores, fundaram o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM). Uma Organização Social fomentada e supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) que desenvolve há mais de 20 anos programas de pesquisa, manejo e assessoria técnica nas áreas das Reservas Mamirauá e Amanã, na região do Médio Solimões, Estado do Amazonas. 

 

Essas duas reservas juntas totalizam  5,7 milhões de hectares, se tornando a maior área florestal protegida do mundo. Por intermédio de convênios com o Governo do Estado do Amazonas, o Instituto Mamirauá apóia a gestão destas reservas.

Foto: internet

 Ayres lutou pela implementação de métodos conservacionistas que incentivassem as populações locais a permanecer em suas terras na região amazônica, em vez de procurar emprego nas metrópoles brasileiras. Defendendo uma gestão responsável dos recursos naturais da região por meio do ecoturismo e de outros programas, ele contribuiu para que os povos nativos obtivessem um meio de sustento. 

 

Uma breve mais linda história

 

O jovem José Márcio Ayres, faleceu aos 49 anos e dedicou toda a sua vida (cerca de 30 anos), ao desenvolvimento sustentável da Amazônia. 

Como forma de homenagear sua breve mas tão produtiva história, em 2008 foi inaugurado o memorial Márcio Ayres na sede da IDSM, em Tefé. Lá você encontra fotos, livros, equipamentos, a vida e a cronologia detalhadas de José Márcio Ayres. Também é possível encontrar grande parte do material que se encontra no museu disponível no site do IDSM.

 

José navegando pelos rios da Amazônia. Foto: Luiz Cláudio Marigo

 

Prêmio

O exímio trabalho desenvolvido pelo pesquisador rendeu-lhe o Prêmio Rolex de empreendedorismo. Um projeto que apoia indivíduos com projetos inovadores que visam melhorar a vida do nosso planeta, expandir conhecimento, solucionar novos desafios ou preservar o patrimônio cultural, ou social para as gerações futuras.

As verbas recebidas foram utilizadas na ampliação do projeto Mamirauá para a reserva vizinha de Amanã, criando a maior área protegida do mundo dentro de uma floresta tropical.

 

Que sua história seja honrada e continue gerando frutos por muitas  e muitas gerações! 

 

Texto por: Fernanda Sá