Tag

abelhas

Mel orgânico e conservação: qual a relação?

By | Conservação, Educação ambiental, GreenBond, Marketing na Conservação, Meio Ambiente | No Comments

A preocupação com a saúde e com o meio ambiente têm aumentado a busca por produtos orgânicos no Brasil e no mundo por diversos motivos. Um deles é o cuidado da saúde e a preocupação com o meio ambiente. Mas a produção do mel orgânico é realmente importante para a conservação e preservação do meio?

 

Foto: Internet

 

O que é mel orgânico?

 

Assim como os vegetais, o mel puro também pode ser orgânico. Isso significa que todo o processo de produção estará livre de qualquer tipo de contaminação, tanto por agrotóxicos quanto por antibióticos, que são usados para tratar doenças das abelhas ou das plantas de onde elas retiram o néctar.

 

Para que o mel seja certificado como orgânico, é preciso que toda a área ao redor do apiário seja livre do uso de agrotóxicos e pesticidas. Isso garante que não haja nenhum tipo de contaminação nas flores em que as abelhas colherão o pólen para a produção do mel.

 

O processo de filtragem do mel orgânico também é diferenciado, pois diferente do comum, ele não deve ser aquecido, apenas coado. Além disso, todo o material usado na colmeia deve ser de aço inox, evitando assim que haja riscos de contaminação.

 

Produção

 

Muitos produtores do Brasil investem em produtos orgânicos, livres de agrotóxicos, um mercado que registra aumento em todo o mundo. O apicultor Lauri Araújo realiza um trabalho cuidadoso para garantir a qualidade do mel que produz na propriedade em São Paulo. A propriedade fica no município de Barra do Chapéu. A mata intocada é essencial para a obtenção do produto.

O produtor, que não tem funcionários, conta com a ajuda da mulher e dos dois filhos mais velhos para realizar a colheita, feita com uma roupa especial de proteção. Lauri trabalha com abelhas africanizadas, fruto do cruzamento de abelhas africanas com europeias. Uma a uma são retiradas as melgueiras, que são as placas onde ficam o mel. Na produção orgânica, as caixas não podem ter pintura para não contaminar o produto.

 

Foto: Lucilia Guimarães/SMCS

 

Na casa do mel há outra exigência. A primeira coisa a se fazer é tomar banho, só depois o produto é descarregado. Quando começa o processamento, todos estão de banho tomado, roupas limpas e usando touca, máscara e luvas. Os favos são abertos e vão para a centrífuga, de onde é retirado o mel. Todos os equipamentos são de aço inoxidável.

 

Benefícios para a conservação e importância das abelhas

 

Um fator que aumenta a importância da produção orgânica do mel é a possibilidade de extinção das abelhas que tem relação ao uso de pesticidas nas produções agropecuárias no geral.

A adoção de técnicas naturais e saudáveis, incentiva a conscientização sobre o meio ambiente e consequentemente reduz o índice de mortalidade das abelhas.

Mas afinal, qual a importância das abelhas para a flora?

Se você é um entusiasta do meio ambiente, provavelmente já sabe que abelhas fazem a polinização, processo necessário para o surgimento de novas plantas e alimentos.

O vento, a água e diferentes animais cumprem seu papel carregando o pólen de uma flor até a outra, contribuindo para o processo de fecundação que dá origem a novas plantas e seus frutos.

O destaque vai para as abelhas que são consideradas as mais eficientes para a tarefa de transporte do pólen. E é por isso que, sem elas, florestas inteiras estariam em risco, prejudicando todas as formas de vida desses ecossistemas.

Trazendo essa realidade para mais perto de nós, seres humanos, é importante ressaltar que abelhas são responsáveis por cerca de 75% da produção de alimentos em todo o mundo. E, também por isso, o debate em torno da preservação desses insetos chama cada vez mais atenção.

O uso intensivo de agrotóxicos contribui para a mortalidade dos insetos e é uma questão tão séria que já mobiliza a união entre agricultores e apicultores (criadores de abelhas) pela busca do equilíbrio.

 

Foto: internet

 

Certificação para produzir o mel

 

Para produzir um mel que possa receber o título de “orgânico”, o apicultor deve passar por um processo de certificação. Isso é feito por algumas empresas que enviam inspetores que analisam tecnicamente as condições do apiário e sugerem adequações para a conversão do apiário convencional em orgânico. Atendidas as exigências e depois de um período de carência, a empresa certifica o apiário.

Essa certificação dá ao apicultor o direito de usar um selo especial no seu produto, identificando-o como orgânico perante os consumidores. Entre os critérios exigidos, está a proibição de lavouras de manejo convencional num raio de 3 km do apiário. Para a manutenção do certificado, as inspeções são repetidas frequentemente.

 

Foto: internet

 

Nós do #Bond apoiamos a produção do mel orgânico para incentivar a conscientização que envolve técnicas de preservação do meio ambiente. Estamos juntos contra a extinção das abelhas e preservação do meio!

Por que as abelhas são tão importantes para o planeta?

By | Animais ameaçados de extinção, Educação ambiental, Meio Ambiente | No Comments

As abelhas nos oferecem muito mais do que o doce do mel, elas atuam em um importante fenômeno ecológico: a polinização. Portanto, colocá-las sob ameaça, como estamos fazendo hoje, é colocar em risco a nossa própria sobrevivência. 

Infelizmente, as abelhas estão desaparecendo do planeta – algumas espécies correm risco de extinção global! O cenário é tão grave que organizações como a ONU já alertam para os perigos de escassez de alimentos por conta da mortalidade em massa dos insetos polinizadores. E, quando pensamos no contexto nacional, a previsão é igualmente preocupante, pois prevê-se que a população de abelhas e outros polinizadores possam diminuir em 13% até 2050, segundo análise da Universidade de São Paulo! 

 

(Foto: Creative Commons)

 

PEQUENOS GRANDES AGENTES AMBIENTAIS 

Além de polinizar frutas e legumes consumidos por nós diariamente, como tomate, berinjela, café e cacau, as abelhas também contribuem fortemente na manutenção das florestas. Se elas forem extintas, a reprodução de plantas silvestres ficará comprometida, visto que mais de 90% das espécies de vegetação tropical com flores e cerca de 78% das espécies de zonas temperadas dependem da polinização desses insetos.

 

(Foto: Creative Commons)

 

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS AMEAÇAS ÀS ABELHAS? 

A extinção de agentes polinizadores é um dos mais graves desastres globais emergentes. A tragédia impacta diretamente a quantidade e a qualidade dos alimentos produzidos, em um mundo já desarranjado quando se trata de comida na mesa.

Desmatamento, poluição e mudanças climáticas são algumas das ameaças já conhecidas, não só para as abelhas, mas para a fauna como um todo. No entanto, você sabia que os agrotóxicos também são grandes vilões para os insetos polinizadores? O glifosato, por exemplo, pode afetar o comportamento das abelhas, alterando sua sensibilidade por açúcar e habilidade de navegação, o que prejudica sua busca por alimentos e retorno à colônia.

 

É POSSÍVEL TER VIDA HUMANA SEM OS AGENTES POLINIZADORES? 

Assim como Einstein já dizia, “Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana”.

É difícil afirmar que a vida humana não existiria sem as abelhas, mas que a diminuição da espécie impactaria profundamente na existência de vida, isso com certeza. As abelhas estão totalmente inseridas no nosso dia a dia, mesmo que de forma muito sutil. Dois terços, aproximadamente, de alimentos ingeridos são produzidos pela ajuda da polinização das abelhas. 

Esses pequenos insetos são pequenos no tamanho, mas de uma importância gigante para o planeta. Sem as abelhas, o mel acabaria e junto dele os produtos agrícolas. Além do mais, também afetaria a produção de animais para consumo, que sofreria grandes perdas, já que são herbívoros. Enfim, a vida selvagem em um geral sofreria sem elas, já que a vegetação seria reduzida de modo excessivo, e assim a acabaria a existência do planeta como um todo. 

 

(Foto: Creative Commons)