Gigantes de conservação: Jane Goodall

Você conhece as grandes personalidades da conservação? Ao longo dos anos, pudemos contar com alguns heróis que deram início a grandes ideias ou tiveram papéis importantes em determinados projetos de proteção ao meio ambiente. Seus princípios e histórias de vida são uma inspiração para nós, que formamos uma enorme corrente a favor da natureza.  

Vamos explorar a história desses gigantes aqui em nosso blog. A informação é nossa principal arma. Por meio dela, desejamos munir a população de conhecimento, inspirar cidadãos comuns e trazer o maior número de pessoas  para o “lado verde da força”.

Hoje vamos falar de uma das principais primatólogas do mundo. Inspiração com profissional e como mulher. Jane Goodall.

 

20 Questions with Dr. Jane Goodall : Never Apart

Fonte: neverapart.com

 

No mundo da primatologia, com certeza ela é a grande estrela.  

Jane Goodall, a primatologista que mudou o conhecimento humano sobre os chimpanzés, com certeza é inspiração e exemplo de coragem e dedicação.

 

A garra e determinação de uma guerreira

Nascida em 3 de abril de 1934, a britânica Valerie Jane Morris-Goodall, sempre teve um sonho: Conhecer a África. Jane se matriculou em um curso de secretariado e com o dinheiro que economizou de seus empregos e, em 1960, comprou uma passagem para o Quênia.

Logo em sua chegada, Jane foi então contratada para ser secretária de um famoso paleontólogo, Louis Leakey e, por ser profundamente interessada nas pesquisas sobre os Homo sapiens que o mesmo desenvolvia, chamou atenção do pesquisador. Leakey então tomou uma importante decisão que iria mudar  não somente a vida de Jane mas os conhecimentos sobre a primatologia no mundo. 

Ainda no  mesmo ano da chegada de Jane na África, Leakey a enviou para uma expedição no Gombe Stream National Park, Tanzânia, e se tornou mentor em uma pesquisa revolucionária com chimpanzés. 

 

Fonte: nationalgeographic.org

 

Importantes descobertas sobre os chimpanzés

 

Jane se mostrou extremamente habilidosa e dedicada com sua pesquisa e, mesmo sem formação na área, fez importantes descobertas sobre os chimpanzés do Parque Nacional de Gombe:

  • Descobriu que, contrariando a ideia de que os chimpanzés eram vegetarianos, eles se alimentavam de carne;
  • Descobriu a capacidade da espécie do uso de ferramentas;
  • Descobriu que os chimpanzés podem cometer canibalismo;
  • Dentre várias outras observações sobre o comportamento e ecologia da espécie

 

Fonte: britannica.com

 

 

De uma pesquisadora sem diploma a doutora na Universidade de Cambridge

Como reconhecimento da excelente pesquisadora que era, Jane foi aceita no programa de doutorado da Universidade de Cambridge, se tornando posteriormente PhD em etologia (ciência que estuda o comportamento animal).
Claro que mesmo com todo esse primoroso esforço e trabalho, por ser jovem e ser mulher, Jane não foi bem aceita pela comunidade científica, o que lhe custou muito preconceito e descrenças.

 

Pesquisadora da National Geographic

Jane foi financiada por muitos anos  pela National Geographic e, apesar de não gostar de divulgação, em sua estadia no parque nacional de Gombe, a cientista recebeu um fotógrafo  da marca para acompanhá-la. Fotógrafo esse que veio a se tornar seu marido, mais tarde.

 

Fonte: nationalgeographic.org

 

Não somente pesquisadora, ativista ambiental 

Em 1977, Jane fundou o Jane Goodall Institute, dando continuidade à sua pesquisa sobre chimpanzés e levantando a pauta da proteção animal e conservação ambiental.

Jane também inaugurou a Roots & Shoots is Founded, uma instituição que tem como objetivo auxiliar jovens na Tanzânia a criarem soluções para os problemas ambientais enfrentados pelo país.  

Em 2004, Jane Goodall foi nomeada Mensageira da Paz pelas Nações Unidas.

 

Fonte: britannica.com

 

O que temos a dizer a você Jane? Você é pura inspiração! Continue brilhando!

Leave a Reply