Conhecendo o maior primata das Américas – Dia Nacional dos Muriquis

Hoje, dia 27 de Agosto, é dia deles! Deles, que são os maiores primatas das Américas, amam abraçar e possuem um quinto membro! Bom, se você pensou nos muriquis, está completamente correto! Caso você não o conheça, vem comigo que eu te apresento! 

Os muriquis são primatas endêmicos da mata atlântica brasileira, isto é, ocorrem apenas naquela região. Eles pertencem ao gênero Brachyteles e são divididos em duas espécies: o Muriqui-do-Norte (Brachyteles hypoxanthus) e Muriqui-do-Sul (Brachyteles arachnoides).

Os muriquis-do-norte ocorrem na Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo, enquanto que os muriquis-do-sul ocorrem nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. 

 

Muriqui-do-norte. Foto: Marilha Mardegan.

 

Diferenciando os muriquis-do norte e dos muriquis-do-sul  

Os muriquis-do-norte e do muriquis-do-sul possuem algumas características que nos permite diferenciá-los. Além de ocorrerem em locais distintos, os muriquis-do-norte possuem uma despigmentação no rosto e na genitália, pêlos mais claros e possuem nas mãos, um dedão vestigial, enquanto os do muriquis-do-sul possuem o rosto preto, assim como a genitália, pêlos mais escuros e não possuem nenhum vestígio de dedão. 

 

Muriqui-do-sul e muriqui-do-norte. Imagem: Stephen D. Nash.

 

Uma característica comum, super importante para as duas espécies, é a presença da cauda. A cauda dos muriquis é preênsil, ou seja, adaptada para envolver e segurar. Devido a isso, a cauda dos muriquis funciona como um quinto membro, com capacidade de sustentar todo o peso do corpo deles! 

 

Muriqui-do-sul. Foto: Mariana Landis/Associação Pró Muriqui.

 

Hábitos

Os muriquis vivem em grupos que podem passar de 90 membros e se deslocam por grandes distâncias à procura de alimento. Por vezes se deslocam em fila, passando pelas mesmas árvores para evitar quedas.

Sua alimentação é totalmente vegetariana, comendo folhas, frutos, flores e até brotos de bambu. Por comerem frutos, acabam sendo ótimos dispersores de semente, tendo assim uma importante função ecológica de restaurar a mata! 

 

Muriqui-do-norte. Foto: Adriano Gambarini.

 

Os muriquis são primatas pacíficos, tendo poucas ocorrências de agressões e disputas violentas. Um comportamento afiliativo muito marcante da espécie é o abraço. Ele serve tanto para fortalecer o laço entre os integrantes de um mesmo grupo, quanto para confundir predadores e parecerem maiores para outros grupos. 

 

Muriqui-do-norte. Foto: Fernanda Tabacow.

Ameaças

Devido a perda de habitat, fragmentação da mata atlântica e caça, o estado de conservação da espécie é bastante preocupante, sendo listados como “criticamente em perigo de extinção”. Para vocês terem ideia, restam menos de 1000 indivíduos de muriquis-do-norte na natureza e cerca de 1.300 muriquis-do-sul.

Devido a isso, várias instituições desenvolvem projetos importantíssimos em prol da conservação dos muriquis e, inclusive, em nosso blog, já falamos de uma personalidade super importante, que a mais de 38 anos se dedica a pesquisa e conservação dos muriquis-do-norte, a Dra. Karen Strier.

 

Muriqui-do-norte. Foto: Marilha Mardegan.

 

Conservação

Uma das instituições de conservação dos muriquis-do-norte é a MIB: Muriquis Instituto de Biodiversidade, que possui diversos projetos envolvendo o muriquis-do-norte. 

Para conhecer mais sobre o MIB e seus projetos, acesse suas redes sociais! 

Site do MIB: clique aqui

Instagram do MIB: clique aqui 

Já uma instituição que trabalha com a conservação dos muriquis-do-sul é a Associação Pró Muriqui e para conhecer mais sobre o trabalho, clique aqui! Instagram do Pró Muriqui: clique aqui.

 

Você já conhecia esses animais incríveis? Vem com a gente na conservação dos muriquis! 

 

Texto por Anna Luisa Michetti Alves

Revisado por Fernanda Sá

 

Leave a Reply