Category

Marketing na Conservação

Documentários Selvagens

By | Marketing na Conservação | No Comments

Os documentários possuem um grande poder de entretenimento, educação e transformação. A história vai sendo apresentada e, sutilmente, somos cativados e convidados a embarcar na aventura que nos é apresentada. Para a conservação, os documentários são uma arma tão eficiente quanto o storytelling, nos causando identificação, mexendo com nossos sentimentos e até nos incentivando a agir em prol do meio ambiente. 

 

Separamos alguns documentários que valem a pena serem vistos, promovem reflexões e mostram a urgência da conservação.

 

O emocionante documentário retrata a corrida contra o tempo para reverter a atual situação dos corais no mundo, que, devido às mudanças climáticas, estão morrendo. Os corais são uma parte fundamental do ecossistema marinho, sem eles, praticamente não há vida. O aumento da temperatura das águas, a acidificação e a poluição são as principais ameaças aos corais. O momento de agir para reverter a situação é agora. 

 

Foto: Netflix

 

O documentário retrata a poluição ambiental gerada pelo lixo que produzimos, em especial, o plástico. Nele, são retratados os impactos ambientais gerados pelo lixo, como a morte de ecossistemas, animais marinhos e aves e, de que forma, nós, seres humanos, somos afetados. Alternativas para contornar a situação, como mudança de hábitos e tecnologias são apresentadas. Definitivamente é um documentário que nos faz pensar duas vezes antes de continuarmos produzindo a quantidade de lixo que estamos acostumados. 

 

Foto: Netflix

 

O Parque Nacional de Virunga é o único local onde ainda se pode encontrar Gorilas-das-Montanhas. Com um enorme biodiversidade e jazidas minerais, o parque é alvo de diversas ameaças diariamente. O documentário retrata a luta dos guardas que dão a vida pela preservação do parque. Extremamente emocionante, o documentário nos instiga a um sentimento de revolta pela ganância humana, fazendo com que tenhamos vontade de nos juntar aos guardas para defender o que acreditamos.

 

Foto: Netflix

 

Narrada por Sir David Attenborough, a série dividida em oito episódios retrata as belezas do nosso planeta. Explorando desde ambientes congelados a desertos, e mostrando desde pequenos animais até os maiores, a necessidade de conservação é clara, pois todos sofrem com os impactos das mudanças climáticas. 

 

Foto: Netflix

 

Quando vemos um documentário pronto, talvez não tenhamos dimensão das dificuldades e do esforço necessário para ter todas as belas imagens. Desta forma, este documentário retrata os bastidores da produção do “Nosso Planeta”, mostrando a realidade por trás das incríveis imagens. 

 

Foto: Netflix

 

De que forma as cores são usadas na natureza? Camuflagem, atrair parceiros, encontrar alimentos… Neste documentário somos apresentados a um universo cheio de cores, belas imagens e reflexões de como os animais utilizam as cores para sobreviver. 

 

Foto: Netflix

 

Um documentário diferente do que estamos habituados, desta vez, somos levados a conhecer a vida noturna de diversos animais nos mais variados habitats. Seja na natureza, ou no meio urbano, os animais nos surpreendem com suas atividades ao pôr do sol. 

 

Foto: Netflix

 

Um mini documentário de menos de cinco minutos, mas que demonstra como tudo em um ambiente está conectado em uma grande cascata trófica. Uma única espécie consegue mudar toda a dinâmica de um lugar, nos levando a refletir sobre a importância de cada indivíduo na rede da vida.

 

O documentário retrata os primeiros passos do trabalho do Onçafari na habituação e monitoramento das onças-pintadas. 

 

Foto: Onçafari

 

E aí? Vamos maratonar estes documentários? Tem alguma sugestão imperdível? Manda pra gente!!

 

Texto por Anna Luisa Michetti Alves

Revisado por Fernanda Sá

Marketing de Conteúdo

By | Marketing na Conservação | No Comments

O que é o chamado marketing de conteúdo? De que forma ele pode ajudar minha instituição a crescer e se tornar uma referência no meio da conservação? Calma que no blog de hoje iremos explicar e ainda contar um de nossos casos de sucesso!

 

 

O que é Marketing de Conteúdo?

Marketing de conteúdo nada mais é do que uma estratégia de produção de conteúdos relevantes, com o máximo de embasamento possível, direcionados a um público-alvo específico que busca ativamente por informações de qualidade.

Por exemplo: a SOS Pantanal, umas das clientes da Greenbond, tem atuado fortemente no combate e prevenção das queimadas no Pantanal. A equipe de marketing direciona, então,  as escritas dos blogs da instituição para temas relacionados a fogo, queimadas, combate, prevenção, situação das queimadas no Pantanal, dentre outros possíveis assuntos que possam estar relacionados.

Quando uma pessoa, buscar sobre ¨queimadas no Pantanal¨ ou algo similar, além de encontrar sobre a atuação da SOS Pantanal, vai encontrar informações úteis sobre o assunto, fornecida pela mesma instituição que atua na linha de frente. O resultado não poderia ser outro: automaticamente aquela informação vai ser validada pela pessoa, que, além de passar a confiar na instituição, vai creditar a ela o Know-how sobre o temas  e demais temas relacionados e ele.

 

Como funciona?

Nessa técnica, a ¨propaganda¨ que você faz do seu trabalho não acontece de maneira direta e invasiva, mas sim através de uma busca ativa de pessoas que já tem interesse sobre o assunto e que querem obter informações seguras.

Claro! Para essa estratégia de fato funcionar, os textos têm que apostar em linguagens acessíveis, esclarecedoras e que tenham embasamento científico e dados que corroborem com o que ele afirma.

O marketing de conteúdo está inserido no chamado Inbound Marketing, que é a estratégia de marketing em que se busca captar o público de forma não invasiva, deixando que as pessoas venham até sua empresa e permitindo que você passe sua mensagem, também sendo chamado de marketing da atração.

 

 

Porque devemos apostar no marketing de conteúdo?

Alguns dos benefícios do marketing de conteúdo são:

  • Aumento da visibilidade da sua causa na Internet: Quando fazemos alguma pesquisa no Google, damos bastante atenção para os sites da primeira página e principalmente aqueles que estão nas primeiras posições, certo? Isto porque consideramos estes sites como os mais confiáveis e relevantes, sendo autoridade no assunto. Quando o conteúdo de sua instituição está nos primeiros resultados, a chance de creditarmos valor ao trabalho desenvolvido aumenta.
  • Reconhecimento e interação:  Quanto maior o reconhecimento em relação ao trabalho que desenvolve e mais credibilidade a instituição passa,  mais pessoas passam a ser atraídas pela causa e, consequentemente, passam a interagir e apoiar seus projetos.
  • Maior facilidade para alcançar novos objetivos: Uma vez que o tão sonhado reconhecimento e a confiança são alcançados (pontos chaves para o bom desenvolvimento de uma instituição), torna-se muito mais fácil traçar novas metas, conquistar novos parceiros e apoiadores e principalmente alcançar novos objetivos.

 

Um dos nossos casos de sucesso

Um caso de sucesso da Greenbond foi o blog da onça-parda com leucismo. Em 2018, publicamos em nosso blog uma matéria sobre o primeiro registro do mundo de uma Onça-Parda com leucismo. A imagem foi divulgada pelo ICMBio e o registro foi feito no Parque Nacional Serra dos Órgãos (Parnaso), em Petrópolis, por uma armadilha fotográfica. Na publicação, muito além do que apenas relatar o fato, abordamos de maneira detalhada sobre o leucismo e o albinismo, explicando a diferença entre os termos. 

Por ter sido um tema “quente”, com  informações relevantes e embasadas, num momento em que várias pessoas estavam buscando mais informações sobre o assunto, o conteúdo bombou e atingiu diversas pessoas.

A relevância é tamanha que nas buscas do Google sobre o tema, a GreenBond aparece como um dos primeiros resultados. 

Tempos depois, uma pessoa se deparou com um animal que acreditou ser um animal com leucismo e, realizando buscas na internet, encontrou o blog sobre o assunto.

Por ser um dos primeiros textos a aparecer nas buscas da internet, essa pessoa leu o nosso blog e entrou em contato conosco para verificar se o animal em questão era mesmo um animal com leucismo.

Moral da história: um bom texto conferiu a Greenbond o know-how sobre o assunto e ganhou a confiança de vários novos apoiadores.

 

 

E aí? Já conhecia esta estratégia?

Para entender mais sobre o marketing de conteúdo e como implementar, acesse os blogs da Rock Content e da Resultados Digitais

 

Texto por: Anna Luisa Michetti

Revisado por Fernanda Sá

A arte da conservação: Jaguar Parade 

By | Marketing na Conservação | No Comments

Melhor do que ver uma escultura de onça-pintada toda decorada, só vendo uma onça de vida livre, não é mesmo? E é justamente para permitir que continuemos tendo estas gigantes pintadas na natureza, que a Jaguar Parade promove suas exposições.

Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a necessidade de conservar as onças-pintadas e seu habitat, a Jaguar Parade é um evento que envolve artistas em um mesmo propósito: a conservação. Dezenas de esculturas de onças-pintadas  são customizadas, expostas em lugares públicos de grande circulação, e, posteriormente, leiloadas. O recurso arrecadado é destinado a instituições que se dedicam a esses grandes felinos. 

Não podemos negar que essas onçonas coloridas, cada uma com uma padronagens diferentes chamam atenção por onde passam, não é mesmo?

 

Dama da Noite. Artista: Gigi Wanderley. Foto: Ramon Rodrigues

As onças-pintadas se encontram “Quase Ameaçadas” de extinção, de acordo com a União Internacional para a Conservação (IUCN) e “Vulnerável”, de acordo com o ICMBio-MMA. As principais ameaças que as onças enfrentam são a fragmentação e perda de seu hábitat, devido aos desmatamentos, além de sofrem imensamente com a caça ilegal.

O evento é organizado pela empresa Artery que além de organizar a Jaguar Parade, também é a responsável pela Cow Parade, Ear Parade, Art of Love e a nossa querida Elephant Parade Brasil! 

 

Primeira edição 

A primeira edição da Jaguar Parade foi realizada em São Paulo, no ano de 2019. Foi considerada a maior exposição de arte ao ar livre da cidade, dá pra acreditar!?

Os números são chocantes: aproximadamente 10 milhões de pessoas viram as esculturas nas ruas e parques de SP e 100 milhões foram alcançadas pelas mídias! 

Foto: Jaguar Parade

 

E quem a Jaguar Parede apoia?

Na edição de São Paulo, o leilão beneficente arrecadou  R$ 631.500,00 e essa arrecadação beneficiou o instituições como o Onçafari, SOS Pantanal, Ampara Animal e Panthera

 

Onça monitorada pelo Onçafari. Foto: Gustavo Figueiroa

 

Jaguar Parade 2021: Belo Horizonte

A edição de 2021 está acontecendo em Belo Horizonte, Minas Gerais. A exposição teve início no começo de Setembro e a primeira etapa está ocorrendo no Shopping Pátio Savassi, onde as esculturas estão espalhadas pelos três pisos do shopping e algumas sendo pintadas ao vivo! 

Serão mais de 25 obras pintadas do dia 8 de Setembro ao dia 5 de Outubro! Então, se você quiser ver como é o processo ao vivo e a cores, o momento é agora! 

 

Esculturas de onças que serão pintadas. Foto: Anna Luisa Michetti

 

A edição deste ano conta com 60 obras e 50% do valor arrecadado será destinado ao Onçafari. 

Todas as esculturas ficarão expostas no Pátio Savassi até o dia 15 de Novembro. Após esta data, as onças irão invadir as ruas, praças, parques e avenidas de Belo Horizonte e ficarão expostas ao ar livre! 

 

Quanto custa? Artista: Darlene Carvalho. Foto: Anna Luisa Michetti

 

Que tal fazermos juntos um check list das onças encontradas pela cidade?  Ao encontrar uma escultura, tire uma foto, poste com a hashtag #JaguarParadeBH2021 e marque o Instagram oficial do evento (@jaguar.parade) e a gente! 

Vamos juntos procurar onças por BH?

 

Texto por Anna Luisa Michetti Alves

Revisado por Fernanda Sá

O Poder do Storytelling para a Conservação

By | Marketing na Conservação | No Comments

Quando falamos de conservação, falamos de união. Não se faz conservação sozinho, não se muda o mundo sozinho. É preciso que diversas pessoas se engajem na causa para que as ações tenham impacto. 

Mas como convencer as pessoas a se juntarem na luta pela conservação? Como mostrar que realmente é necessário e urgente? Como podemos aproximar a ciência das pessoas de forma atrativa? Como não ser “ecochato’’?

Sabemos que diversas vezes, apresentar dados, notícias e os fatos em si, não gera nenhuma comoção. Na realidade, a sensação é de que as informações que passamos para as pessoas, entram em um ouvido e saem pelo outro. Porém, quando os dados são acompanhados de uma boa história, geralmente, o comportamento é outro. 

O chamado storytelling é justamente o ato de contar histórias, porém, mais do que isso, é a arte de transmitir uma mensagem, se conectar emocionalmente com o ouvinte. Uma história bem contada tem o poder de prender a atenção, causar identificação, mexer com nossos sentimentos, perdurar em nossa memória e até provocar mudanças. E é justamente aí, que o storytelling entra como uma arma poderosa na luta pela conservação.

 

A propaganda é a alma do negócio

Quando queremos vender algum produto a alguém, temos duas opções: 1) Fazer um anúncio simples e esperar que dê certo ou 2) Fazer toda uma propaganda mostrando que a pessoa precisa adquirir aquele produto e que, com a aquisição, ela, de alguma forma, será mais feliz. 

A segunda opção é a mais utilizada ao redor do mundo e, por isso, somos bombardeados por propagandas assim o tempo inteiro. Da forma mais direta, até a mais sutil, são as propagandas que vendem os produtos. 

 

Arte: Anna Luisa Michetti Alves/Greenbond

 

O chamado para a conservação nada mais é do que vender um produto, no caso, a preservação dele. Para aqueles mais engajados na causa, não é preciso um “a” para que ocorra a adesão na luta, mas como eu disse, não se faz conservação sozinho, é preciso que diversas pessoas se juntem. Quando eu digo “diversas”, quero dizer diversas mesmo. O máximo que conseguirmos. De todas as classes, de todas as profissões, de todos os cantos do mundo, do mais simples ao mais pomposo, do pequeno ao grande. 

É um pouco difícil fazer uma propaganda tão abrangente assim, você não acha? Mas se tem uma coisa que une todas as tribos, como foi o Norvana, essa coisa é a história. 

 

Publicação no Twitter de Dinho Ouro Preto que virou meme pela frase cômica.

 

Cada história é única e poderosa

Ao utilizar do storytelling para a conservação, você apresentará dados que estão comumente na mídia, mas de forma única por meio da sua história. Desta forma, o ouvinte terá um outro olhar sobre o assunto

O ouvinte será levado a vivenciar por meio da sua história as experiências que estão sendo contadas, se colocando na posição do personagem principal, experimentando os sentimentos e situações vividas. 

A identificação e as emoções são primordiais para transformar e sensibilizar as pessoas. Quando você consegue passar para o público o que você sente e acredita, elas passam a querer lutar pelo mesmo que você. Querem poder vivenciar elas mesmas e querem que outras pessoas também possam passar por essa experiência. 

Desta forma, conservar passa a ser não parte de uma obrigação, mas sim uma vontade genuína de fazer parte do mundo maravilhoso que o ouvinte foi levado por meio da sua história. 

 

Alan Rabinowitz. Foto: Kris Krug/Flickr

 

Storytelling para a conservação

Um exemplo incrível de storytelling para a conservação é o de Alan Rabinowitz. Em uma história intitulada “Man and Beast” (Homem e Fera). Alan conta sua história de conservação de onças-pintadas e, ao final, você está determinado a seguir seus passos. Clique aqui para ouvir a história.

Podemos perceber que o storytelling tem um grande poder de provocar mudanças e é justamente disso que precisamos no meio da conservação. 

Você conhece algum caso de storytelling na conservação? Compartilha com a gente! Vamos juntos mudar o mundo, de pouquinho em pouquinho, de preferência regado a uma boa história! 

 

Texto por Anna Luisa Michetti Alves

Revisado por Fernanda Sá

08 de maio. Dia do profissional do marketing e o marketing para a conservação

By | GreenBond, Marketing na Conservação | No Comments

Hoje, dia 08 de maio é comemorado o dia do profissional do marketing, uma data criada com o objetivo de homenagear uma das classes de trabalhadores mais criativas que existe. 

São eles os responsáveis por desenvolver imagens, conceitos, conhecer e envolver o público e principalmente por vender ideias. E como é satisfatório ver uma ideia bem exposta, não é?

 

O mundo mudou, as mídias mudaram, o digital invade a vida das pessoas como uma tsunami… Mas uma coisa, continua a mesma: a propaganda segue sendo a alma do negócio. 

E com todo mundo de olho nas telinhas, até a conservação, que até pouco tempo não era muito associada à publicidade, teve que entrar na onda das aparições públicas, porque afinal, quem não é visto, não é lembrado. Mas como fazer isso bem feito? Ninguém sabia ao certo. Pareciam mundos que não conversavam. Mas eis que surge o marketing para a conservação.

 

 

O que é marketing para a conservação?

O termo marketing para a conservação é bem novo e refere-se “a aplicação ética de conceitos e técnicas de estratégias de marketing para influenciar atitudes, percepções e comportamentos de indivíduos e, em última instância, sociedades, com o objetivo de promover objetivos de conservação”

Enquanto o marketing convencional utiliza técnicas e ferramentas que estimulam as pessoas a consumir algum tipo de produto ou serviço, o marketing para a conservação aplica essas mesmas técnicas ou técnicas semelhantes para encorajar a mudança de comportamento pró-conservação.

Na prática, o marketing para a conservação serve para se referir a difusão da ciência produzida por projetos de conservação através da propaganda e, com isso, promover mudanças significativas no modo como enxergamos o meio ambiente. E sim meus amigos, as redes sociais são uma arma poderosíssima de propaganda.

Através do marketing para conservação, vários projetos tiveram a chance de mostrar pro mundo as suas carinhas e, o mais importante, sair da sua bolha. Isso quer dizer que pessoas de outras áreas passaram a conhecer e entender mais sobre os diversos aspectos da conservação, a se sensibilizar com as coisas e, a automaticamente se engajar mais com os propósitos. Bacana, né?

 

 

Essa é justamente a missão da Greenbond. Fazer com que cada vez mais pessoas possam conhecer projetos de conservação através do marketing digital. 

 

E a equipe da Greenbond não para nunca de se aperfeiçoar 

Dos dias 27 a 31 de outubro de 2021 vamos participar do segundo Congresso de Conservation Marketing. O único do mundo voltado totalmente para essa temática. Vai ser uma troca incrível e com certeza, vamos sair desse evento com uma bagagem enorme de conhecimento e muito mais vontade de aplicar o marketing em todos os projetos de conservação por aí.

 

E ai? Já tinha ouvido falar de marketing para a conservação? O que achou?

 

Texto por Fernanda Sá

 

Entenda sobre o ESG: Environmental, Social and Governance

By | Marketing na Conservação | No Comments

Você já ouviu a sigla ESG? Até sabe do que se trata, mas não tem muita profundidade sobre o assunto? Peraí que nesse texto vou explicar tudinho sobre esse tema e, porque ele é tão importante.

 

ESG: por que sigla será ainda mais importante para as empresas em 2021

Imagem: Internet

 

O que significa ESG 

ESG nada mais é do que: Environmental, Social and Governance. Em portugues: Meio ambiente, social, e governança. Diz respeito aos três pilares utilizados para mensurar a sustentabilidade e o impacto social de um investimento em uma empresa, instituição ou negócio.  Esses critérios podem ser utilizados para ajudar a determinar melhor o desempenho financeiro futuro das empresas (retorno e risco).

ESG pode nos dizer o quanto um negócio minimiza, ou busca alternativas para minimizar, seus impactos no meio ambiente, constrói um mundo mais justo para seus clientes e funcionários, fornecedores, dentre outros e procura manter sempre os melhores processos administrativos.  

Além disso, o ESG, em vez de analisar apenas índices financeiros de uma empresa, por exemplo, também leva os investidores a  observarem fatores ambientais, sociais e de governança.

 

Embora não seja um termo novo, somente agora tem ganhado força

Até pouco tempo a sustentabilidade era entendida como uma antagonista quando o assunto era ganhar dinheiro, mas recentemente, práticas ambientais mais conscientes, sociais e de governança vêm ganhando espaço e recebendo atenção mundial e existem razões muito lógicas para isso. 

Estudos apontam que empresas, instituições e investidores que adotam melhores práticas ambientais, sociais e de governança atingem maiores impactos positivos. Além de obter mais lucratividade melhoram seu valor de mercado ao longo do tempo. 

Percebeu-se, finalmente, que, cuidar do meio ambiente, ter responsabilidade social e adotar melhores práticas de governança são fatores que contribuem para o balanço positivo das empresas e instituições. 

 

ESG: O que é e como funciona? - CashMe

Imagem: Internet

 

Em resumo:

  • O interesse pela temática ESG no Brasil e mundo está cada vez maior. Se sua empresa, negócio ou instituição não estão por dentro desses pilares, podem se considerar ultrapassados. 
  • O engajamento dos investidores e apoiadores e o comportamento dos consumidores estão levando  em conta as empresas e instituições que assumiram esse papel de responsabilidade.
  • Existe uma pressão por parte da economia nacional mesmo, cada vez maior para que a ESG esteja na  agenda dos investidores, empresas e instituições
  • ESG tem sido um sinal particularmente eficaz de geração de retorno acima do mercado nos últimos anos.
ESG: uma sigla que diz muito sobre o negócio - Agência Envolverde

Foto: Internet

 

Ainda não conhecia essa sigla? Sua empresa, negócio ou instituição ainda não segue essas práticas.Tudo bem… Mas está na hora de mudar. Sempre é tempo de promover reestruturações internas, ainda mais quando elas só vêm atreladas a consequências tão positivas. 

Texto por Fernanda Sá

Diferentes tipos de comunicação científica nas redes sociais

By | GreenBond, Marketing na Conservação, Notícias | No Comments

Já falamos algumas vezes por aqui da importância da divulgação científica e de como isso tem ganhado uma força cada vez maior.

Hoje em dia, não precisamos nem mais dar um google para encontrar informações de qualidade. Nas próprias redes sociais tem uma galera boa se encarregando de fazer as pesquisas pra gente e resumir tudo tim tim por tim tim. E o melhor de tudo. Com uma linguagem simples, direta e principalmente acessível a todos. Mas será que todos os comunicadores científicos utilizam as mesmas técnicas de comunicação para atingir o seu público alvo? Não mesmo…. Cada um aposta em uma ferramenta própria, desenvolve o seu jeitão e a sua linha de pensamentos…. E nós? Cabe a nós escolher quais os perfis que mais nos agradam ou então seguir todos, quanto mais melhor, não é mesmo?

Hoje vamos mostrar alguns perfis que têm feito o dever de casa direitinho e trazido o verdadeiro conteúdo científico de qualidade a todos nós. 

 

Hugo Fernandes @hugofernandesbio

O biólogo que tudo sabe.

Brincadeiras a parte mas eu mesma já me perguntei várias vezes como diabos o Hugo pode estar por dentro de todos os assuntos. É polêmico, gera dúvidas, está na mídia e envolve o meio ambiente, o Hugo está comentando. 

O Hugo aposta muito nos cards e nos vídeos para passar a informação de uma maneira séria e o mais simples e direta possível. Com essa maneira de se comunicar, o biólogo conseguiu vencer a bolha acadêmica e chegar nos grupos de whatsapp de família. Devemos eterno agradecimento a ele.

E respondendo a minha própria pergunta, como é possível ele saber de tanto assunto? O cara estuda muito. Acredito que devem ser muitas noites mal dormidas em cima das notícias e artigos fresquinhos, porque não basta estar na moda, o Hugo sabe o que fala e tem fontes seguras para isso.

 

 

Atila Iamarino @oatila

Foco, força e fé

O Átila é um biólogo, microbiologista e doutor em virologia. Porque eu estou contando a formação do cara? Porque é justamente esse o seu forte e o foco que ele escolheu para a sua comunicação. 

Seu discurso nas redes sociais gira basicamente em torno desses assuntos, e no momento, o grande protagonista é o COVID 19. O Átila com certeza se tornou uma sumidade quando se trata de coronavírus. Sabem porque? Porque ele foi capaz de trazer um assunto tão sério e complexo à luz dos leigos. Sua linguagem embora muito embasada é bastante didática e acessível. O Átila foca no assunto, deposita toda a sua força na criação de conteúdos e acredita no seu potencial de disseminação da verdade.

 

 

Bioeducação digital

A geração tiktok

As meninas da Bioeducação digital acertaram uma veia boa para a comunicação científica. Seguir as tendências da moda digital. É viral, elas estão fazendo.  

Sempre linkando a modinha do momento com assuntos importantes, muito bem embasados, elas têm conseguido alcançar cada vez mais gente e principalmente, tem reafirmado o que já estamos carecas de saber: temos que mudar nossa linguagem, temos que arriscar, temos que mergulhar em águas desconhecidas para tornar a ciência conhecida.

 

 

Biólogo Carlo Stenio @steniosux

A síndrome de Peter Pan

Parece que estou sendo rude falando assim né? Mas não é. Quem dera se todos nós conseguíssemos manter sempre vivas as nossas crianças interiores. E foi exatamente isso que o Carlo conseguiu. Utilizando um elemento que todo mundo gosta, os desenhos animados, o biólogo exemplifica várias situações envolvendo o meio ambiente de uma maneira muito lúdica. Os posts são deliciosos de acompanhar e não há quem não queira saber um pouco mais sobre os temas que ele levanta e sobre os personagens da vez.

 

 

Tunes ambiental @tunesambiental

Beleza põe mesa sim

Conhecem o provérbio popular ¨beleza não põe mesa¨? O Tunes ambiental chegou pra provar que não é bem por aí. Beleza pode por mesma sim. 

Os irmãos Pedro e Ana Luiza têm apostado em fotos e vídeos bonitos da vida selvagem associados à virais da internet. Detalhe, as informações eles deixam pra colocar somente na legenda. Resultado da brincadeira? Vários compartilhamentos de seus conteúdos e um crescimento super rápido de suas redes.

 

 

Viu que cada um utiliza uma linguagem e tem funcionado muito bem? As redes sociais são igual coração de mãe. Tem lugar pra todo mundo.

 

Hoje eu escolhi alguns perfis que gosto muito, mas claro que existem inúmeros outros incríveis que tem contribuído para espalhar informações como, @binerighetti, @gufigueiroa, @maysasantoro, @waita.ong, @sifuentes.dani, @thiagobiotrips… Ixee podemos ficar aqui até amanhã… 

Vamos simplificar o trabalho? Marquem aqui nos comentários um perfil que você curta muito e que vc considera foda na divulgação científica. Vamos ver quais preciosidades da comunicação a gente acaba descobrindo?

 

Texto por Fernanda Sá

E-mail marketing. O que é e qual a importância dessa ferramenta no mundo atual.

By | Marketing na Conservação | No Comments

Convenhamos… Por mais que as redes sociais venham crescendo de maneira assombrosa, ninguém nunca deixou de usar o bom e velho e-mail.

Sem dúvidas o e-mail é a ferramenta de comunicação com maior número de usuários. 

Sabemos que existem hoje outras maneiras de conversar diretamente com o seu público, mas o e-mail continua sendo a mais simples delas.

Ainda não está convencido de que sua instituição precisa começar a usar o e-mail marketing? 

Vou te dar alguns bons motivos.

 

Resultado de imagem para a importância do e-mail marketing

Imagem Internet

 

Antes de mais nada, o que é e-mail marketing?

O e-mail marketing é a utilização do e-mail como ferramenta de marketing direto e individual. A partir do uso de ferramentas específicas, algumas delas até gratuitas, do estudo das métricas e da automação é possível criar uma comunicação única para cada usuário. Desse modo, através de análises baseadas na interação individual, é possível que cada pessoa receba um conteúdo relevante para ele. 

 

Pontos positivos do uso dessa estratégia

 

  • Todo mundo tem um e-mail

 

Dados estatísticos apontam que mais de 90% dos adultos que utilizam a internet possuem e-mail e 60% dessas pessoas verificam o e-mail pelo menos uma vez ao dia.

 

  • Alto nível de engajamento

 

Ao ser utilizado de maneira correta, o e-mail marketing chega a ser 40 vezes mais efetivo do que o marketing em redes sociais. 

  • Altas taxas de conversão

O e-mail marketing apresenta maiores taxas de conversão do que as redes sociais. Em termos de venda, a taxa chega a ser de até 70%. 

 

  • Criação de vínculo e fidelização 

 

Através do e-mail que você vai criar um laço com o usuário, fazendo com que ele se lembre de você constantemente, saiba as novidades em termos de serviços e conteúdo que você está oferecendo no site e nas redes sociais. 

 

  • Segmentação

 

Através da análise de informações diversas, como interesse, localidade, produto ou serviço consumido, dentre outras, é possível gerar diferentes tipos de conteúdos e direcioná-los a grupos específicos. Quanto mais segmentada for essa base, melhor a sua comunicação com o público. 

 

  • Personalização

 

Todo mundo gosta de atenção, não é mesmo? Faz total diferença ser chamado pelo nome no e-mail e quando o remetente sabe quais produtos você comprou. Isso te torna especial!

Com o Email Marketing é possível utilizar variáveis ao longo do seu corpo de texto tornando seu email personalizado com base no banco de dados dos usuários. 

  • Automação

 

Através de ferramentas é possível criar automações baseada em ações, como ter baixado determinado material ou ter respondido algo importante, abrir a mensagem ou clicar em algum link específico.

Combinando essas informações à personalização dos emails e segmentações do público, a automação vai contribuir grandemente para o aumento do engajamento do seu público.

 

  • Análise de Métricas

 

Uma das maiores dificuldades quando enviamos e-mail manualmente é analisar os resultados. Quantos e-mails foram enviados, quantos foram abertos, quantos cliques em um link.

Ao utilizar uma plataforma própria, você terá acesso a essas métricas e isso te possibilitará ter uma melhor leitura do seu público e melhorar as suas ações. 

 

Resultado de imagem para e-mail marketing

Imagem da Internet

 

Tenho certeza de que você já está convencido de que essa, sem dúvidas, é uma ferramenta incrível.

Então não perca mais tempo e corra já atrás desse recurso pro seu projeto.

Fiquem ligados aqui no nosso blog que em breve postaremos mais dicas.

Importância do design para projetos de conservação

By | GreenBond, Marketing na Conservação | No Comments

Quando falamos em projetos de conservação, o que te vem em mente?

Posso chutar alguns de seus pensamentos sem medo de errar. Biólogos e veterinários com suas roupas e apetrechos peculiares no meio da mata, manejo de animais silvestres, perrengues em campo, dias e dias escrevendo projetos e relatórios… Acertei, não foi?

Arrisco ainda dizer um pensamento que não passou nem de longe por suas cabeças, querem ver? A comunicação desses projetos. 

 

A verdade nua e crua

Meus caros, o mundo mudou, as mídias chegaram atropelando tudo e quem não é visto, não é mais lembrado. Fazer uma boa comunicação de seus projetos agora é tão importante quanto publicar seus resultados em revistas internacionais. 

E como fazer uma boa comunicação, que atinja mais gente, principalmente as que estão fora da nossa bolha? Através do marketing. Sim, a boa e velha propaganda. 

 

Dos cientistas para o mundo

Temos que aprender a divulgar pro mundo os nossos trabalhos e sabe qual a melhor parte? Nunca foi tão fácil fazer isso. 

As mídias estão aí, abertas e acessíveis, as ferramentas estão disponíveis e a criatividade… Ops? Travou na criatividade? Não tem problema, afinal não temos mesmo que ser bons em tudo. Tem gente especializada nisso.

Por que não encarar de uma vez por todas que a conservação é multidisciplinar e chamar figurinhas de outras áreas para fazer parte do time? 

Pode chegar galera do marketing e do design. Precisamos de vocês para somar a nossa equipe do bem? Afinal, não basta só fazer, tem que fazer bem feito!

Com cada vez mais pessoas seguindo os nossos passos e acompanhando nosso dia a dia, os projetos, assim como as empresas, estão sendo obrigados a criar um design próprio, que tenha a sua cara, a sua identidade, que converse bem com o seu público e que, acima de tudo, seja lembrado e reconhecido. 

Mesmo que estejamos todos do mesmo lado, o mundo é competitivo, e para conseguir alcançar maiores resultados e recursos, não basta mais apenas sermos bons profissionais, temos que ser bons e ¨lindos¨.

 

Why Should We Save The Giant Panda- WWF Hot Air Balloon | Panda Things

Ações da WWF usando e abusando de seu design simples e já bem consolidado. Imagem internet

 

Qual o papel do design para projetos de conservação?

Uai, já falei alí em cima, fazer o projeto ficar lindo. 

Brincadeiras à parte, o papel do design nos projetos de conservação não é simples. Ele tem a árdua, mas gratificante missão de, agregar valor e qualidade ao projeto, conectar as pessoas à causa, fazer com que elas se sintam acolhidas e partes daquela ideologia e principalmente, tornar a imagem visual do projeto agradável e facilmente reconhecida.   

 

A criação da identidade visual do projeto

Essa é uma etapa importante pois essa será a cara do projeto. 

Primeiro, temos que ter muito claro qual é a essência do trabalho. Qual público alvo desejamos atingir, com quem queremos conversar, qual imagem desejamos difundir…. 

Com essas informações em mãos vem a parte divertida. Pensar na paleta de cores, nos tipos de letras, formas e símbolos que irão acompanhar as suas artes.

É muito importante uma padronização de todos os materiais produzidos. Isso não quer dizer que serão iguais, quer dizer que o ideal é que sigam uma linha criativa única. 

Isso vai garantir uma melhor assimilação entre as produzidas por vocês e o projeto.  Depois de um tempo, é tiro e queda. Bateu o olho em algum material e já sabe de qual projeto ou instituição se trata.

 

Identidade visual: você já parou para pensar nela? - Blog de Performance  Digital e UX | Agência 242

Imagem internet

 

Achou complicado? Não se preocupem, tem empresas, como a Greenbond, que são especializadas nisso e que podem ajudar nessa parte. 

Sei que não é tão simples, mas com as pessoas certas, o design do seu projeto vai ficar maravilhoso e funcional.

 

 

Quer mais dicas de como tornar o seu projeto parte dessa geração visual e cada vez mais digital? Deixa um comentário pra gente ou nos procure nas nossas redes sociais @greenbondconservation

. Vai ser um prazer ajudar vocês. 

 

 

Os bastidores do evento: #UmDiaNoParque

By | Datas comemorativas, Marketing na Conservação | No Comments

 

A algum tempo atrás postamos aqui sobre um evento incrível que acontece todos os anos em diferentes parques nacionais do Brasil, se lembram?

O Um Dia no Parque é um movimento criado para celebrar a natureza brasileira. Um momento proposto para refletir sobre a importância dos parques, unidades de conservação e reservas existentes no Brasil e, mais do que isso, um momento para enaltecer  a nossa conexão com a natureza.

Unidades de Conservação do Brasil todo se mobilizam em uma data única para comemorar esse movimento lindo e cheio de respeito.  Não acompanhou? Confere aqui rapidinho pra entender do que se trata.

 

 

Pois bem! O Um dia no Parque 2020 aconteceu no dia 18 de outubro de 2020 e foi um enorme sucesso.  Devido a pandemia do COVID-19, este ano o evento aconteceu online, mas nem por isso deixou de ser maravilhoso. Tá tudinho gravado, quem não pode ver na hora, clica aqui que ainda dá tempo.

 

 

Mais de 170 parques nacionais participaram do movimento, várias instituições,  artistas e pessoas se engajaram e apoiaram a causa gravando depoimentos lindos sobre sua conexão com a natureza. Foi realmente um dia que vai ficar na memória.

O que você pode nem imaginar é que, para isso tudo dar certo, muita água rolou nos bastidores.

 

 

A equipe da Greenbond foi convidada para ser a responsável pela estratégia de comunicação, gestão das mídias sociais e transmissões das lives do evento e topou esse grande desafio com unhas e dentes.

 

 

 

Foram dois meses intensos de muito trabalho duro desde a criação da identidade visual do Um dia do Parque 2020 até a transmissão do evento final. 

Foram inúmeras reuniões, 87 posts de Instagram e Facebook criados, mais 170 stories, 3 vídeos editados para Youtube, 10 banner e capas produzidas, 4 gestões de lives, mais de 25 uploads de vídeos, além é claro de toda a gestão da live no dia do evento.

Ufa… Muita coisa! Mas o mais importante é o resultado que conseguimos alcançar juntamente com a equipe do evento. Quando o trabalho é feito com dedicação, o resultado sempre é incrível!

 

A Greenbond agradece pela oportunidade oferecida pela organização do Um dia No Parque e pela confiança no nosso trabalho!

Que venha o Um dia Parque 2021 e que dessa vez, possamos voltar a fazer tudo do jeitinho que gostamos. No meio do mato!