All Posts By

Raphael Parmezani

Carnaval também combina com conservação e sustentabilidade?

By | Conservação, GreenBond, Meio Ambiente | No Comments

Achou que ficaríamos de fora no carnaval? Que nada! Aqui nós caímos na folia mas continuamos ligados na conservação! Confira dicas de bloquinhos animais, produtos biodegradáveis e outros toques para você aproveitar seu carnaval sem agredir o meio ambiente e sem se estressar.

 

Bloquinhos animais

 

  • O cordão da bicharada

‘O cordão da bicharada’ é um bloco infantil que as crianças podem participar vestidas de qualquer animal da Amazônia! Ele vai acontecer no Pará e existe desde 1975. A ideia veio do Mestre Zenóbio, que produz as fantasias das crianças. Não há data e local confirmados até o momento, mas fique de olho para não perder essa!

 

Foto: G1

 

  • Manada

O bloco ‘Manada’ vai acontecer no dia 22 de fevereiro, às 10h, na Santa Cecília, em São Paulo/SP. Ele contará com sons, assobios e rugidos de animais, além de contar com muita diversão e fantasias criativas de bichos!

 

  • Amigos da onça

O bloco ‘Amigos da onça’ acontecerá no Rio de Janeiro, dia 22 de fevereiro, às 07h, no Flamengo. Com ritmos muito animados e muita arte, o bloco promete! Contará com axé baiano, Mamonas Assassinas, o Beija-Flor e a Cobra, entre outros estilos musicais pra esquentar esse feriado.

 

Foto: Pedro Teixeira/G1

 

Lixo é no lixo!

 

Infelizmente, em eventos grandes como o carnaval por exemplo, encontrar ‘rastros’ de lixo por onde os blocos acontecem é comum. É possível sim se divertir e ser consciente! Para entender melhor a quantidade de lixo nas ruas, em 2018, no Rio, foram retirados 486 toneladas de lixo Em 2019, foram 541 toneladas de lixo, no Rio de Janeiro também. A estimativa é que São Paulo ultrapasse o Rio de Janeiro, com mais blocos de rua e público.

Levando em consideração os registros dos anos anteriores, a estimativa é que esse ano, muito lixo seja retirado das ruas também. Com a intensa chuva em SP, o destino de grande parte destes resíduos são bueiros, esgoto e rios, podendo dificultar ainda mais as enchentes que estão impactando a cidade.

De que forma podemos mudar isso? Com atitudes e cada um fazendo a sua parte. O lixo deve ser jogado no lixo!

 

Produtos biodegradáveis 

 

Glitter e fantasias não podem faltar no carnaval, não é mesmo? Saiba que o glitter é um dos maiores poluentes dos rios e mares e prejudica o meio ambiente! Mas fique tranquila, existem opções de glitter biodegradável e não é difícil de encontrar. Uma simples atitude e em conjunto, pode fazer a diferença! Além do glitter, que tal montar a sua própria fantasia com produtos recicláveis e biodegradáveis? Use a sua criatividade! Mas não se esqueça de depois do carnaval, se não for mais usar, descartar no local correto 😉

Sabemos que é legal ir à festas ou bloquinhos e usar confete, mas é preciso tomar cuidado! O confete também é um grande poluidor, mas existe uma solução. O que acha de fazer o seu próprio confete com folhas secas que caíram?

 

Foto: Referencial Verde

 

Leve seu próprio copo!

 

Levar seu próprio copo ou canudo reutilizável é uma ótima opção! É comum encontrar dezenas de materiais plásticos descartáveis em blocos, e bem mais cômodo também. Porém, é dever de cada um se esforçar para reduzir o consumo de materiais plásticos. Por isso, é legal estar sempre com o seu, para evitar produzir mais lixo! Uma ONG parceira da GreenBond vende copos reutilizáveis em uma versão especial de carnaval. Acesse o Instagram da Waita e peça o seu.

 

Foto: Waita

 

Dicas para não se estressar

 

Vamos citar algumas dicas, pois sabemos que no meio da multidão, mesmo querendo se divertir, você pode passar por alguma situação complicada:

 

  • Esteja com menos objetos possíveis em mãos, evitando a perda, roubo ou furto;
  • Use pochete ou bolsas por baixo da fantasia ou da roupa;
  • Não leve a carteira com todos seus cartões. Nesse caso, é aconselhável selecionar os itens que você vai precisar e, os demais, deixar em casa;
  • Evite tumulto. Blocos maiores podem ser mais perigosos, mas se você for, fique atento à sua volta;
  • Beba com moderação.

 

Não se esqueça de se divertir bastante nesse carnaval, mas com consciência. A GreenBond apoia esse tipo de evento, então sempre reforçamos uma forma de curtir de uma maneira mais sustentável!

Radar anti-caça salva rinocerontes na África do Sul

By | Animais ameaçados de extinção, Conservação, GreenBond, Marketing na Conservação, Meio Ambiente, Parques Nacionais | No Comments

Meerkat: Tecnologia de vigilância a favor da conservação

 

O Parque Nacional Kruger, que fica na África do Sul, o maior parque nacional do país, e um dos maiores do mundo, mostrou que é possível usar tecnologia a favor da conservação. O chamado ‘Meerkat’ (Suricato, em português) está agindo para proteger os rinocerontes da região e o melhor de tudo: movido a energia solar!

 

Código Postal Meerkat/Foto CNN

 

Esse mix de câmeras e sensores estão ajudando a proteger os rinocerontes e outros animais de caçadores furtivos. O aparelho é inteligente a ponto de conseguir distinguir entre movimento humano e animal e até inclui um sensor infravermelho, para detectar caçadores noturnos e alertar os guardas florestais sobre sua presença. Esse sistema é conhecido como “Código Postal Meerkat”, tem quase um metro e meio de altura. É capaz de acionar a equipe de segurança com muito mais rapidez, que vão até o local de helicóptero. Desde que a Meerkat foi introduzida, as atividades de caça reduziram em 95%!

 

Foto CNN/Rinocerontes no Parque Nacional Kruger

 

Um pouco sobre os rinocerontes

 

Existem 5 espécies de rinocerontes no mundo, mas na África do Sul, apenas o rinoceronte-branco (Ceratotherium-simum) e o rinoceronte-negro (Diceros-bicornis) ocorrem. Por fazer parte do “Big Five” animais do safári, é um grande atrativo para os turistas, junto com os búfalos, elefantes, leões e leopardos.

Segundo Tumelo Matjekane, da Peace Parks Foundation, uma organização que trabalha para conectar áreas de conservação no sul da África, os parques são um grande gerador de receita para a África do Sul. “Eles atraem turistas de todo o mundo. Se não formos capazes de conservar isso, essas pessoas não virão aqui e o impacto disso nos meios de subsistência, nas comunidades ao redor dos parques e em nossa economia não é mensurável”, ressaltou  Matjekane.

Atualmente, o rinoceronte-branco é considerado como quase ameaçado, ou ‘Near threatened’ (NT) e o rinoceronte-negro como criticamente em perigo, ou Critically Endangered (CR), segundo a IUCN.

 

Rinoceronte-branco – Foto de H. Zell/Wikimedia Commons

 

Rinoceronte-negro – Foto de Yathin S Krishnappa/Wikimedia Commons

 

O problema da caça

 

Infelizmente, em alguns países asiáticos, os chifres dos rinocerontes são erroneamente considerados como medicamentos alternativos para tratamento de doenças. Para acompanhar esse mercado e atender à demanda, os rinocerontes estão sendo dizimados dos locais onde eles ainda existem, criando um cenário de guerra entre caçadores e guarda-parques. 

De acordo com os Parques Nacionais da África do Sul, 421 rinocerontes foram mortos em Kruger em 2018. Uma pesquisa de 2016 descobriu que havia entre 7.000 e 8.000 rinocerontes em Kruger, mas o vasto tamanho do parque torna difícil mantê-los seguros.

Segundo Mark McGill, diretor de tecnologia dos Parques Nacionais da África do Sul: Kruger é aproximadamente do tamanho do país de Gales. É difícil encontrar uma pessoa lá fora e prendê-la.

Contudo, acreditamos que toda tecnologia que seja a favor da conservação é muito bem vinda. Tal atitude do parque é um exemplo para muitos outros no mundo, incentivando na utilização de tecnologias como estas e outras.

A porta de entrada de um projeto de conservação no mundo digital

By | Conservação, GreenBond, Marketing na Conservação, Meio Ambiente, Projetos de conservação | No Comments

Segundo a ONU, até 2018, mais da metade da população mundial já tinha acesso à internet. Sendo assim, podemos dizer que a internet deixou de ser somente um meio de pesquisa e agora, faz parte do “DNA do ser humano”. Dentro desta enorme rede mundial, é possível encontrar de tudo um pouco. Mas o que é importante saber: o consumidor da sua causa, produto ou serviço também pode estar presente.

O que o seu projeto precisa entender para entrar nesse meio?

 

O digital com uma visão empreendedora

 

Digital não é só criar uma rede social ou um site, vai muito além disso. Atualmente, é fundamental estar no meio digital, pois além de alcançar o seu target (público-alvo), é possível fazer uma captação de outro público que ainda não está engajado com a sua causa. Mas como fazer isso? Antes de mais nada, é aconselhável uma pesquisa para entender sobre o público e onde ele está, para a organização estar presente naquela rede. A criação de uma persona (modelo de público, com nome, idade e características básicas) é sempre importante para definir com quem o projeto está se comunicando.

Depois da identificação, é importante ter um site acessível e de fácil manuseio, para sempre que realizar anúncios, direcioná-lo para o site, onde haverá mais informações. Nele, é necessário que estejam todos os objetivos, missões e valores, independente se é uma venda de produto, serviço ou ideia (como é o caso da conservação). O usuário precisa entender do que se trata e porque apoiar. 

Nas redes sociais, como qualquer situação da vida, é preciso ter um planejamento. Organizar e planejar é essencial para diminuir erros. É ideal um cronograma para o mês, sempre realizado no mês anterior. Recursos como B.I (Business Intelligence) para gerar relatórios, são muito importantes para organizar o melhor horário, dia e onde realizar o seu post. Além de claro, encontrar o público mais engajado com a sua causa, para futuras ações de relacionamento ou posts específicos.

 

A importância de um site

 

Com base na experiência do usuário (UX), o site precisa estar alinhado para a melhor experiência possível. A criação de um aplicativo também é importante, dependendo do seu objetivo com determinada campanha. Mas caso não tenha, é importante que o navegador via mobile (aparelho celular) esteja com uma ótima navegação, para não prejudicar a experiência do usuário.

No site, é aconselhável que o layout esteja o mais clean (limpo) possível, com fácil acesso ao menu ou barra de busca. No final, importante sempre a implantação de um campo para envio de newsletter ou e-mail marketing. Pode não parecer, mas essa função ainda é muito eficaz e a taxa de abertura pode ser muito alta, dependendo de como for criada.

 

Case de sucesso

 

Onçafari

1º Passo – Perguntas

Na criação de um site, é importante fazer algumas perguntas, para entender os objetivos da organização. Para a Onçafari, não foi diferente:

 

Educação

1) Consigo saber já na primeira página a causa da Organização e qual sua missão? O site providencia boa informação sobre a causa?

3) Você pode aprender bastante sobre a causa no site?

4) Seria fácil, após ler o que a ONG faz, explicar o que ela faz para alguém?

 

Transparência e Transação Financeira

5) O site apresenta checkout transparente? Estou confiante que as informações financeiras são mantidas em segredo? Apresentou certificados de segurança?

7) Achei com facilidade o botão para fazer a doação?

8) O site tem alguma área em que apresenta um relatório de prestação de contas da Organização?

9) Tem alguma forma de eu acompanhar as atividades da Organização? Quais os canais que o website apresenta para esse propósito?

 

Causa de Apoio

10) A organização parece precisar do meu apoio?

11) Eu fui pedido para doar no site?

12) Tem botões de call to action para isso?

13) Há interação e facilidade de navegação?

14) Ao analisar o layout, disposição dos elementos, consigo identificar padrões de cores com funcionalidades específicas no website?

15) O site é fácil de navegar?

16) Quais as formas de entrar em contato com a Organização disponibilizadas no website?

17) O site desenvolveu uma comunidade?

18) A organização me ofereceu formas de manter o contato e ficar atualizado das atividades? Se sim, quais?

 

Empoderamento e inspiração

19) O site me incentiva a entrar em ação?

20) O site me faz sentir necessário? De que a minha ajuda pode fazer a diferença para a causa?

21) O site me providência ideias e formas para ajudar? Quais?

 

2º Passo – Sites de referência

Pesquisar e analisar sites de concorrentes ou parceiros é também uma etapa importante. Neles, é possível separar o que pode ser feito e o que não daria certo para o seu site. 

 

3º Passo – Wireframe (rascunho)

Depois de buscar algumas referências, está na hora de rascunhar! Nosso primeiro rascunho para a Onçafari foi a imagem abaixo:

 

Imagem: Greenbond

 

Desenhamos o wireframe (rascunho) da seguinte forma (exemplo):

  • Página inicial
  • Sobre nós (texto apresentação + lista subpáginas em menu lateral)

    • Nossa história
    • Objetivos e resultados
    • Onde atuamos

      • Pantanal
      • Cerrado
      • Amazônia
      • Mata Atlântica
    • Membros (segmentado em equipe de campo / conselho / executivo)

      • Perfil
      • Trabalhe com a gente (link interno)
    • Bases
    • Parceiros
    • Prêmios
    • Documentário (apresentação + trailer + making of)
    • Relatórios (lista + download de documentos em pdf) *
    • Balanço *
    • Entre em contato

 

Imagem: Nação design

 

Com isso, foi feito um estudo contemplando 3 páginas importantes do site:

 

Home

 

Imagem: Nação design

 

Espécie

 

Imagem: Nação design

 

Animal

 

Imagem: Nação design

 

Sendo assim, em uma parceria com a Nação Design, realizamos esse trabalho fantástico para a Onçafari. Caso tenha alguma causa ou sua organização precise de um apoio, estamos engajados e dispostos a ajudar! Nós podemos ser a sua porta de entrada no mundo digital 😉