6 consequências do desmatamento na Amazônia

Você sabia que as florestas são essenciais para conservar a biodiversidade do planeta? Elas suprem a necessidade de abrigo, água e sustento para milhares de pessoas! E pensando nisso, podemos dizer que a Amazônia é o coração pulsante do nosso planeta, ou seja, é vital para equilibrar o clima global. A mata armazena bilhões de toneladas de carbono, um volume maior de água doce do que qualquer outro lugar do mundo, além de uma grande variedade de plantas e animais. Também é o lar de milhares de pessoas, incluindo povos indígenas e comunidades locais.

Mas, no momento, toda essa riqueza está ameaçada: o desmatamento na Amazônia cresceu 88% em relação ao mesmo período do ano passado! Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), essa destruição já atingiu 920 quilômetros quadrados dentro do bioma. As estatísticas e o descaso do governo com políticas ambientais preocupam, não apenas pelo bioma em si, mas pelas consequências irreversíveis que essas agressões podem trazer para o planeta. 

O desmatamento na Amazônia cresce em escala alarmante. (Foto: PAULO WHITAKER/Reuters)

Confira algumas consequências da ação humana na nossa natureza:

1. Devastação da biodiversidade  

Com a derrubada da mata, o habitat de muitos animais torna-se escasso ou até mesmo inexistente. Por isso, diversas espécies endêmicas, ou seja, que só existem nesta determinada região, como Uacari-Branco (Cacajao calvus), mico-de-cheiro (Saimiri vanzolinii), ave Formigueiro-ferrugem (Myrmeciza ferruginea), etc., ficam sob risco de extinção à medida que o abate nas florestas da Amazônia avançam. Hoje, já existem 124 espécies endêmicas ameaçadas! 

2. Erosão e empobrecimento dos solos 

Sem cobertura vegetal, o solo fica desprotegido, sendo facilmente atingido por agentes erosivos como água da chuva, água do rio, vento, etc. Tal impacto ocasiona a erosão, que nada mais é do que o desprendimento, transporte e depósito de sedimentos de um local para o outro, trazendo e levando elementos indesejados, além de empobrecer consideravelmente o solo.

3. Diminuição dos índices pluviométricos 

Se você acha que o desmatamento da Amazônia impacta apenas a vida no próprio bioma, está muito enganado. A ação humana sobre a natureza da região influencia a falta de água sentida em outras regiões mais populosas do país, incluindo o Sudeste! 

Estudos apontam que a diminuição da quantidade de árvores na Amazônia impede o fluxo de umidade entre o Norte e o Sul do país. 

4. Mudanças climáticas 

Muitas florestas contribuem para a formação de umidade no ambiente, além de absorver o calor do sol para fazer a fotossíntese, de forma que sua retirada pode prejudicar o equilíbrio climático do local. No caso da Amazônia, já existem alguns estudos prevendo que até o ano 2050, as temperaturas aumentarão entre 2º C e 3°C! Como se não bastasse, a diminuição das chuvas pode prolongar os períodos de seca, deixando-os ainda mais severos. 

O mais preocupante é que essas alterações trazem graves consequências, como mudanças substanciais na sazonalidade, com impactos sobre plantas, animais e seres humanos.

5. Desertificação 

Estudos revelam que, se o desmatamento chegar a 50% da área original da Amazônia, o processo de desertificação pode transformar a região leste da floresta em savana. Tal feito estabeleceria um novo estado de equilíbrio, dando ao bioma uma configuração de destruição irreversível, ou seja, não teríamos chances de salvar o “ar condicionado” do país. 

6. Aumento de pragas e doenças 

A relação entre desmatamento e doenças já vem sendo debatida há algum tempo por cientistas e ambientalistas. Mas, recentemente, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) concretizou um estudo inédito relacionando o desflorestamento da Amazônia e doenças como malária e leishmaniose.

Repositora de serviços ecológicos e ambientais, a floresta Amazônica, quando conservada em volume e biodiversidade, é, para os pesquisadores Nilo Saccaro, Lucas Mation e Patrícia Sakowski, a forma de conter o aumento destas doenças.

 

Essas são as principais e mais preocupantes consequências da recorrente agressão à natureza aqui no Brasil. Os números de destruição só crescem, o governo, na contramão da necessidade, segue flexibilizando as leis ambientais do país e com isso, colocamos nossa própria existência em risco. 

Então, repense suas atitudes. Consulte planos de governo antes das eleições, procure por intenções e propostas de conservação do meio ambiente, cobre das autoridades mais rigor em relação às leis ambientais e lute você também pela existência da biodiversidade. 

Leave a Reply